terça-feira, 28 de junho de 2011

Finalidade da vida




Por - Gilberto L. Tomasi


A maioria das pessoas (pelo menos 90% da humanidade) não sabe que a finalidade da vida terrena é o aprimoramento espiritual. Essa maioria acredita que a finalidade da vida aqui na terra, é crescer estudar, formar-se em alguma profissão, trabalhar, namorar, casar, ter filhos, comprar casa, ter um carro, viajar nas férias ou nos finais de semana, ir à praia no verão, se aposentar, e pronto, a pessoa está realizada. Ou seja, teve uma vida normal, uma vida correta, como ditam as regras socioculturais.
Mas, na verdade não é nada disso. Tudo aqui na terra é importante, mas não é a finalidade, não o principal. Isto tudo aqui na terra são apenas meios de se aprimorar espiritualmente, ou seja: o estudo, trabalho, casamento, lazer etc., são meios de o espírito evoluir.
Através do estudo a pessoa evoluí, porque desenvolve o raciocínio e adquire cultura para o poder, assim, compreende melhor a obra divina.Em outras palavras, um analfabeto não tem acesso à literatura religiosa, às obras espiritualistas que falam de sabedoria.
Em geral, uma pessoa que tem pouco estudo não tem vocabulário para entender certas obras que falam dos mistérios da vida. Por isso o estudo ajuda na evolução da pessoa, ou pelo menos, deveria ter essa função.
A finalidade principal do casamento é fazer com que o casal desenvolva qualidades necessárias à boa convivência, em geral. O casamento é, antes de tudo uma escola de amor, tolerância, paciência compreensão, solidariedade, confiança etc.
Mas,  a maioria não sabe que o casamento é, antes de tudo, uma escola. Acha que não passa de um acontecimento social, cultural e sexual.
O carro que a pessoa compra não é só para ir à praia, passear com a família ou, até mesmo, esnobar diante dos outros, mas também para facilitar o acesso da pessoa ao trabalho, ao estudo, socorrer alguém em necessidades. Ser pai ou mãe, não é sentir-se orgulhoso porque o filho só tira boas notas na escola, porque é bonito, porque ganhou uma medalha na natação, porque conseguiu se formar numa faculdade, porque fez um casamento bonito e promissor.
Ser pai é, antes de tudo, ser um educador. Os bons pais evoluem com a experiência de criar e educar um filho, e é isso que Deus espera das pessoas, ou seja, que ela evolua através dessas experiências.
Fazer  amigos é importante, mas a finalidade principal da  amizade não é apenas ter companhia para ir ao cinema, viajar, conversar etc .A principal finalidade da amizade é a ajuda mútua que conduz à evolução.Porém as pessoas em geral, só se aproximam das outras,  na qualidade de amigas, por interesses que não são a amizade verdadeira(ajuda mútua, união, solidariedade, apoio etc.)A aproximação se dá em função outros objetivos.
A finalidade do trabalho não é propriamente ganhar dinheiro, é antes de tudo, servir, construir, ser útil e, por acréscimo, a pessoa ainda desenvolve a honestidade, o bom relacionamento, o respeito, etc..
Por isso, a finalidade principal de  qualquer trabalho  é o mesmo, não importando a função que se exerce. Por isso todo trabalho deve ser feito com amor, honestidade, boa vontade, gratidão, alegria, porque é isso que está em primeiro ligar, é isso que faz a pessoa evoluir. É o aprimoramento espiritual através do trabalho.
Não importa que você erre. Não importa quer você tenha momentos de desânimo. O importante é que você vá eliminando o maior número de defeitos que tem.
A terra é uma escola, mas uma escola espiritual. Por trás de tudo o que acontece e que vivenciamos, aqui neste planeta, está o espiritual. É bom lembrar que quando se fala em aprimoramento espiritual, não se quer dizer que isso esteja ligado ao religioso, pode ou não estar. Mas está sempre ligado ao bem e, muitas pessoas se aprimoram espiritualmente sem ter consciência disso.
São pessoas que procuram agir corretamente e com boas intenções em relação à vida e a tudo que as cercam. É um sentimento, ou uma percepção, que elas têm naturalmente, dentro de si.
Muitas pessoas reclamam da correria de suas vidas, acham que têm compromissos demais e culpam a complexidade do mundo moderno. Entretanto, inúmeras delas multiplicam suas tarefas sem real necessidade. Viver com simplicidade é uma opção que se faz.
Muitas das coisas consideradas imprescindíveis à vida, na realidade, são supérfluas, a rigor, enquanto se buscam coisas, as criaturas se esquecem da vida em si.
Angustiadas por múltiplos compromissos, não refletem sobre a sua realidade íntima, lembram do que gostam, mas, não pensam no que lhes trás paz, enquanto se focam em buscas vãs.
De que adianta ganhar o mundo e perder-se a si próprio. Se a criatura não tomar cuidado, ter e parecer podem tomar o lugar do ser.
Ninguém necessita trocar de carro constantemente, ter incontáveis sapatos, sair todo final de semana. É possível reduzir a própria agitação, conter o consumismo e redescobrir a simplicidade.O simples é aquele que não simula ser o que não é, que dá muita importância a sua imagem ao que os outros dizem pensar dele.
A pessoa simples não calcula os resultados de cada gesto, não tem artimanhas e nem segundas intenções. Ela vive a alegria de ser, apenas e, não se trata de levar uma vida inconsciente, mas de reencontrar a própria infância.Mas uma infância como virtude, não como estágio e vida,uma infância que não se angustia com as dúvidas de quem ainda tem tudo por fazer e conhecer.
Simplicidade não é ignorar, mas apenas aprender a valorizar a essência, os pequenos prazeres da vida, uma conversa interessante, olhar o céu as estrelas, andar de mãos, tomar um sorvete, “pagar mico”, tudo isso compõe a simplicidade do existir.
Não é necessário ter muito dinheiro ou ser importante para ser feliz, mas é muito difícil ter felicidade sem tempo para fazer o que se gosta.
Não há nada de errado com o dinheiro ou com o sucesso, é bom e importante trabalhar, estudar, se aperfeiçoar e ganhar dinheiro. Progredir sempre é uma necessidade do espírito,  uma necessidade humana, mas isso não implica viver angustiado, enquanto se tenta dar cabo de infinitas atividades. Se o preço do sucesso for ausência de paz, talvez não valha a pena, as coisas sempre ficam para trás, mais cedo ou mais tarde.
Mas, há tesouros imateriais que jamais se esgotam. As amizades verdadeiras, um amor cultivado, a serenidade e a paz de espírito são algumas delas. Preste atenção em como você gasta seu tempo,analise as coisas que valoriza e veja se muitas delas não são apenas um peso desnecessário em sua existência. Experimente se desapegar dos excessos. Ao optar pela simplicidade, talvez redescubra a alegria de viver.
Procure ser uma pessoa de valor, em vez de procurar ser uma pessoa de sucesso. O sucesso é só uma consequência.
Compilado a partir de uma explanação sobre o assunto escrita por Albert Einsten.


5 comentários:

  1. De cada 10 pessoas que lerem esse material, apenas 3 vão tentar entender a mensagem, e apenas uma vai levar a sério. E esse resultado já é um progresso maravilhoso.
    Parabéns ao autor e a você Joilson.

    ResponderExcluir
  2. gltomasi@hotmail.com1 de julho de 2011 12:30

    A Doutrina nos mostra que o entendimento é difícil e que as mudanças são lentas. Porém, aí está o grande desafio.

    ResponderExcluir
  3. Estava buscando qual era o sentido da vida, e encontrei neste texto a essência, mas não conssegui descobrir qual o sentido da minha vida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Edna, repasso as palavras do Gilberto, autor do texto, Paz e Luz - Joilson

      "Edna, a essência da vida ainda é um mistério para muitos, depende da civilização, da cultura e do entendimento deca da um, porém, a finalidade ou o sentido da vida é algo explícito basta que tenhamos conhecimento do porque de nossa existência. Não temos a resposta pronta para esse questionamento uma vez que cada qual tem um visão diferente da vida e isso envolve vários fatores. Nós espíritas descobrimos onde encontrar respostas, porém, é nosso livre-arbítrio que decide aceitar ou não. Lembrando ainda que descobrir qual seja o sentido da vida significa dizer que nem a vivenciemos dentro deste parâmetro, isso pode levar muito tempo.
      Edna, durante a nossa jornada terrena passamos por várias fases e o auxílio de um terapeuta nos ajuda a encontrar os recursos necessários para prosseguir na caminhada.
      Em várias obras espíritas verificamos que a recomendação da espiritualidade superior é a de que nos doemos em benefício aos mais necessitados, buscando um trabalho voluntário, seja na casa espírita, na igreja, na comunidade que frequentamos, etc., são inúmeros os relatos de pessoas que se encontraram após dedicar uma pequena parcela de seu tempo em benefício do próximo. Pense nisso. Muita Paz."

      Excluir

Deixe aqui seu comentário