segunda-feira, 7 de março de 2011

Centros de força - CHAKRAS


Joilson José Gonçalves Mendes

“O obsessor dominava-o, quase completamente, acoplando-se aos centros de forças com toda a pujança do desejo irrefreável. [...] A única medida apaziguadora e oportuna será um ligeiro sono. [...] e aplicou-lhe energias relaxadoras [...] Dirigidas aos centros cerebral e solar, acalmaram-lhe a mente e as emoções inferiores [...].” (Loucura e obsessão.)
Geralmente encontramos referências nas obras espíritas, como no exemplo acima, da atuação dos espíritos obsessores sobre os centros de forças, também conhecidos como Chakras. Embora não seja uma prática regular nas casas espíritas, esta terapêutica é aplicada pelos mentores espirituais, em  espíritos desencarnados ou pessoas que procuram os centros espíritas em busca de ajuda.
A palavra Chakra é originária do sânscrito e significa roda, André Luiz utiliza o termo centros vitais, pois estão ligados aos órgãos do corpo fisco, interferindo em seu funcionamento e conseqüentemente em nossa saúde, são responsáveis, ainda, pelo intercâmbio com o plano espiritual na troca de energias e na comunicação mediúnica.
Procurando explicar sob o enfoque espírita, foi que, Jorge Andréa, no livro Forças Sexuais da Alma, disse que “vários estudos tem mostrado a existência, no perispírito, de discos energéticos (Chakras), como verdadeiros controladores das correntes de energias centrífugas (do espírito para a matéria) ou centrípetas (da matéria para o espírito) que aí se instalam como manifestações da própria vida. Esses discos energéticos comandariam, com as suas ‘superfunções’, as diversas zonas nervosas e, de modo particular, o sistema neuro-vegetativo, convidando, através dos genes e código genético, ao trabalho ajustado e bem organizado da arquitetura neuro-endócrina”.
Na vasta literatura sobre o assunto, sendo a maioria de origem não espírita, encontramos referências de que possuímos centenas destes centros de força espalhados pelo corpo e que os centros de força principais são em número de sete; é sobre estes sete centros energéticos, de que iremos falar.
O primeiro deles é o centro coronário – localizado no topo da cabeça, de cor branco/violeta, ligado à glândula pineal tem como função: sediar a consciência do espírito, nos liga com o plano espiritual, supervisiona outros centros vitais e também é um assimilador das energias solares.
“...transmitindo aos demais centros da alma os reflexos vivos de nossos sentimentos, idéias, e ações, tanto quanto esses mesmos centros, interdependentes entre si, imprimem semelhantes reflexos nos órgãos e demais implementos de nossa constituição particular, plasmando em nós próprios os efeitos agradáveis ou desagradáveis de nossa influência e conduta.”. (3)
O segundo é o centro frontal – está no centro da testa, de cor anil, atua na glândula pituitária, é o centro do raciocínio e da visão, ordena os processos da inteligência, como a palavra, cultura, arte e o saber é responsável pela vidência, intuição, glândulas endócrinas e sistema nervoso.
O terceiro chamado laríngeo localiza-se na garganta, de cor azul, está ligado à glândula tireóide. Responsável pela saúde da área fonética - auditiva e vias respiratórias, bem como pelo funcionamento da tireóide e estabilizar a voz após a puberdade.
O chakra cardíaco está localizado na região do coração, sua cor é verde e é responsável pelo equilíbrio e controle da emotividade e dos sentimentos.
Localizado na região do estômago está o centro gástrico, na cor amarela, regula a entrada de energia vital, a distribuição e circulação do volume sanguíneo e muitas vezes é por meio deste centro de força que temos as energias sugadas pelos obsessores.
Quatro dedos abaixo umbigo temos o chakra sacro na cor alaranjada, ligado às glândulas sexuais é responsável pela assimilação e metabolização dos alimentos densos, quando desenvolvido aumenta a percepção das sensações alheias (telepatia).
Por fim temos o chakra básico com a cor vermelha e está ligado às glândulas supra-renais. Este centro vital é que coordena as atividades dos órgãos de reprodução e emoções sexuais, atua diretamente na coluna vertebral, no sistema nervoso central e periférico, no aparelho urinário e reprodutor e também é responsável pela sublimação da energia sexual.
A Dr Valorie Hunt e outros pesquisadores da Universidade da Califórnia – UCLA, bem como o Dr Hiroshi Motoyama, realizaram várias pesquisas com aparelhos e obtiveram os seguintes resultados: os chakras traziam as cores indicadas na literatura metafísica; a atividade de certos chakras desencadeava um aumento na atividade de outro e o chakra do coração sempre era o mais ativo.
Manter os centros vitais em equilíbrio é fundamental para a nossa saúde e desenvolvimento espiritual, nossos pensamentos contribuem de maneira preponderante para este equilíbrio, como explica o espírito Áureo na transcrição abaixo:
“...tanto ou mais do que os prejuízos causados pelos excessos e acidentes físicos, muitas vezes de caráter transitório, as ondas mentais tumultuárias, se insistentemente repetidas, podem provocar lesões de longo curso, a repercutirem, no tempo, até por várias reencarnações recuperadoras.”
Reorganizar os centros de força, portanto, é reformar-se moralmente, agindo de maneira cristã em todos os momentos da vida.

FONTES BIBLIOGRÁFICAS

1. Revista Cristã de Espiritismo – ano 3 nº 18 – Out / Nov 2002 – Chacras por EDVALDO KULCHESKI
2. MELO, Jacob. O passe. Seu estudo, suas técnicas, sua prática. 5ª ed. FEB. Brasília-DF, 1993.
3. XAVIER, Francisco Cândido; VIEIRA, Valdo. Evolução em dois mundos. 14º ed. FEB. Brasília-DF, 1995.
4. SAN`ANNA, Hernani T. Universo e Vida. Pelo espírito Áureo. FEB. Rio de Janeiro-RJ;
5. BRENNAN, Bárbara Ann. Mãos de Luz. Um guia para a cura através do Campo de Henergia Humana. Pensamento. São Paulo-SP; 1993
6. MOTOYAMA, Hiroshi. Teoria dos Chakras. Ponte para a Consciência Superior. Pensamento. São Paulo-SP, 1994.

Um comentário:

  1. Tudo bem?

    Somos amigos no diHITT. Tenho muita curiosidade sobre o Espiristismo e já li muito sobre o assunto. Agora estou seguindo seu blog. Um abraço!!!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário